InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Giuseppe Tognini

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
fabrizius

avatar

Mensagens : 4
Data de inscrição : 03/05/2011
Idade : 34
Localização : Hogsmeade, UK

MensagemAssunto: Giuseppe Tognini   Ter Maio 03, 2011 8:27 pm

Nome completo: Giuseppe Tognini
Data de Nascimento: 25 de Maio de 1986
Local de Nascimento: Villa di Tirano, Lombardia, Itália
Raça: Sangue-Puro
Relacionamento: Noivo com Delilah Boettcher
Patrono: Faisão
Varinha: Madeira Figueira. Espinho de Ouriço. 26 cm. Flexível.

Biografia
O pai nunca voltou da viagem, e uma carta chegou meses depois, avisando que ele nunca mais voltaria, simplesmente porque arranjara outra mulher. Mônica entrou em depressão profunda. Nestes tempos eles moraram junto com a tia Chiara, que também tivera uma filha, Vitória Kneen. Durante aquele ano, Mônica teve um relacionamento com gerente de Gringotes de Roma, Sviturno Scollete, e ficou grávida. No entanto, ele era casado, e isso virou um escândalo. Mônica resistiu e teve a criança da mesma forma, não ligando para boatos ou despreso da família. E assim, em 1988 nasceu Sylvia.

Mônica comprou uma casa, e começou criar os dois filhos sozinhos. Ensinava como toda a mãe bruxa o que podia. Alfabetizá-los, contas simples, um pouco de ciência, contou sobre a Itália, sua geografia e história. Giuseppe aprendia tudo muito rápido, e com cinco anos já lia livros pouco mais avançados do que sua idade. Perguntava sobre tudo, queria respostas sobre qualquer coisa que sua mente imaginava questionar.

Sua melhor amiga desde sempre foi sua prima, Vittoria Kneen, que tinha sua idade. Gostavam passar as tardes correndo entre os vinhedos, brincando de esconde e esconde, ou jogando quadribol em vassouras infantis . Aos oito anos, Pepe e Vittoria, e Sylvia (com seis), eram as crianças com menos atenção da família, mas isso não os importavam. Gostavam de ficar brincando enquanto todas as outras eram paparicadas nas festas da família. Nem Vittoria quanto Sylvia tinham os tradicionais olhos vinhos como a pequena Sophie, filha do Tio Ettore, ou como da mais bela filha dos Tognini, Beatrice, filha do tio Ludovico.

Giuseppe teve uma infância feliz, e agora iria para escola, a Academia de Magia de Beauxbatons. A única coisa triste, foi que sua prima não iria junto, ela iria para Hogwarts. Mas tinham prometido um ao outro que se viriam em todas as férias.

Vida Escolar
Escola: Beauxbatons
Casa: Sage
Giuseppe entrou animado para Academia, e ficou contente quando foi selecionado para a casa de Sage. Mas ele entrou numa época ruim fisicamente falando, ele estava no ínicio da puberdade, sua voz variava de rouco para fino, espinhas cobriam suas gordas bochechas, e a veste azul da escola o fazia parecer uma grande largatixa. Ele era o Peposo, Pepudo, Pepelento, Peppeta, gozações eram diárias, brincadeiras sem graça era feita nele todo o dia. Os mais velhos, da Brisay principalmente, o davam rasteira, as meninas riam quando ele passava.

Giuseppe tinha prometido escrever uma carta toda semana para Sylvia, e estava no salão comunal da Sage, um dia de madrugada para não ser incomodado, quando uma menina ficou lendo sobre os ombros dele. Ele estava irritado, e ela parecia rir. Ele tentou brigar com ela, mas ela esquivou, e dizia que concordava com tudo que ele tinha escrito, que “Beaux era um saco”. Foi um começo de uma amizade.

Bettina Belvaux estava na mesma casa e ano que ele, era uma menina pequena, de sorriso largo e olhos curiosos. Era diferente da impulsiva e mandona prima, ela era quieta, ria muito mais de uma forma discreta. Ela sempre sentava no canto da sala, e Pepe sempre desconfiou que nunca tivesse reparado nela no dia à dia, se ela nunca tivesse chegado até ele. Eram os melhores amigos e inseparáveis, fugiam juntos das provocações alheias, e não se importavam com mais nada. Gostavam de ficar em lugares vazios apenas conversando, estudando ou apenas criando teorias sobre qualquer coisa.

Entre o primeiro e segundo ano encontrou com a prima na Itália, e voltou animado para encontrar a amiga Bettina. Ela tinha crescido e agora era bem mais alta do que o gordinho Pepe, mas isso não diminuiu amizade deles. E assim foi sua vida nos anos seguintes, quieto num canto do castelo quando estava na escola e feliz com Bettina, quieto num canto de Tirano quando estava de férias e feliz com Vittoria.

Quando estava no terceiro, Sylvia entrou para escola, mas ela não foi para mesma casa que ele, ela tinha entrado para Brisay. O que tinha sempre sido a casa dos Tognini. Mas isso nunca importou Giuseppe. Encontrava sua irmã apenas nos almoços, e o resto do tempo passava com a amiga. Mas tudo mudou nas férias de natal quando tinha 15 anos. Ele foi seqüestrado dentro da sua própria casa. Foi levado para uma caverna, nunca via ninguém, estava amarrado pelos pulsos e tornozelo, além de estar vedado e não conseguia levantar e fugir. Percebeu que as vezes levara um tapa, outras que jogavam para dentro da sua boca água e uma comida em papa.

Uma semana depois fora jogado na porta de sua casa. A Polícia Bruxa Italiana investigou e nada descobriu. Sua mãe quis ele ficasse em casa mas ele recusou, voltou para Beauxbattons imediatamente. Mas não antes de passar pelo St. Mungus, algo havia acontecido com ele. Os cabelos e os olhos escureceram e ninguém também descobriu o motivo. Ele foi só chorar assustado pela primeira vez quando contou para Bettina o que aconteceu. Eles se abraçaram e se beijaram pela primeira vez. Duas coisas mudaram, Pepe começou a comer muito pouco, e cada vez estava mais magro. E Bettina parecia cada vez mais interessante, e não demorou muito para estarem namorando oficialmente.

Ele se sentia mais confiante, mais ágil, forte e esperto. O Peposo estava sendo deixado para trás, agora Pepe estava cada vez mais popular na escola. E não sabia se era apenas aos olhos dele, ou também namorava uma das meninas mais belas da escola. Além do mais Sylvia também crescera, e agora era uma linda garota, não demorou muito para os Irmãos Tognini serem bem queridos por todos.

Nas férias seguintes foi visitá-la na Bélgica onde vivia, e pela primeira vez não encontrou Vittoria. Mas ele não queria ir para Itália, e conseguiu evitar isso de todas as formas. Numa noite, quando os pais de Bettina tinham visitar a avó materna dela, eles sozinhos em casa tiveram a primeira relação sexual. No final do sexto ano, após o enterro de um professor, Pepe e Bettina brigaram pela primeira vez, e era até algo babaca ele tinha rido de uma piada que alguém fizera enquanto a diretora falava, e Bettina tinha achado um grande desrespeito.

Mas aquela foi só a primeira briga de várias, e logo perceberam que seria melhores amigos do que namorados, e decidiram terminar. No sétimo ano, após as férias, ficaram ainda mais uma semana, mas sabia que foi só um encontro temporário. Voltaram ser amigos, e não ficaram nem com ciúmes que durante uma festa cada um ficou com uma pessoa diferente. Giuseppe ficou com Angellyne Le Pennec, uma ruiva da casa rival, que encontraria ano depois.

No final da escola, cada um sabia o que queria fazer... Giuseppe iria para Noskort, porque queria continuar os estudos, e Bettina tinha um estágio já garantido no Ministério da Bélgica.

Brevet: 17 (MTB)
Bac: 18 (MTB)

Vida Universitária
Universidade: Noskort
Curso: Varalogia - Não formado.
Fraternidade: Sphinx
Nas férias de verão convenceu Vittoria ir estudar na Universidade Noskort como ele, e ambos tiveram que ir convencer o avô para bancar as mensalidades, na qual ele quis de bom agrado. Entrou para Fraternidade Sphinx, e logo ficou muito popular. Saia com pessoas da sua classe, mas fizera amizade principalmente com os veteranos. Ficou com vários alunos e logo estava descobrindo que tinha um certo jeito de ficar com mulheres.

Ficou com Heather Malfoy, durante várias vezes, mas ela logo tinha abandonado os estudos e nunca mais a viu. Também teve curtos relacionamentos com garotas do seu ano como Charlotte Flynn, Heloise Vasseur e Rowan Ashling. Mas algo desde de Bettina fazia impossível ele querer um novo compromisso.

Também se dedicava aos estudos a finco como Varalogia e Tenebrologia, porque algo lhe dizia que aquela semana que esteve em cativeiro tinha algo relacionado com isso. As vezes tinha pesadelos que estava de volta na caverna e isso ainda o perturba. Dedicou-se ao Diretório Estudantil, e logo no segundo ano era Diretor Acadêmico, promevendo o Dia do Debate que foi um evento muito apreciado por todos. Foram dois anos de estudos e ficadas sem compromisso.

[b]Adulto
Pepe mora na Cúpula 101, um quarteirão no subsolo de Praga, onde fica o distrito comercial mágico da República Theca, mas também é freqüentado por muitos bruxos da Eslováquia. Sua casa é esculpida nas cavernas da cúpula, como todas as moradias de lá. Ele tem dois andares, embaixo é o restaurante e a grande cozinha, e em cima é sua casa, com quarto e sala. O restaurante chamado Betelgeuse, foi patrocinado por um contribuidor misterioso, mas Pepe conta para todos que foi usado dinheiro de sua herança paterna. É especializado em frutos do mar, e já faz um certo sucesso na Cúpula.

Giuseppe está noivo de Delilah, e pretendem casar logo, embora ele tem um certo problema como compromissos sérios. Mas ele a ama e isso é suficiente. O que mudou na sua relação é amizade com Kosntantine, sua "filha" de outra dimensão. Ela tomou gosto por cozinhar, e de vez em quando vai para Praga ajudar Pepe no restaurante. Mas no momento, ela mora na Suiça, com "mãe" e "madrinha" desta dimensão.

Ele já se recuperou do impacto que foi a morte da mãe. Mas isso gerou uma conseqüência, ele agora é responsável pela indispensável da irmã. Mas ela mora na Itália, na Vila di Tirrano, junto com tios e primos. Mas até o momento.. está tudo bem para Pepe.

Família
Pai: Thomas Matthew Townsend
Filho de uma trouxa e um bruxo, que morreram muito jovens num incêndio. Foi morar com a Tia Polly, que não sabia que o cunhado era um bruxo. Por isso, Thomas cresceu sem saber o que realmente era. O seu irmão mais velho, Sidney, sabia mas nunca quis contar e usava magia para assustá-lo. E por isso fugiu de casa com sete anos.

Viveu de cidade à cidade na Escócia, entre mendigos e ladrões. Até receber uma carta de Hogwarts que veio de uma coruja. Ele a espantou, mas logo veio outra e outra. Até que um membro do ministério foi até ele contar que ele era um bruxo, e teria um lar na Escola Hogwarts. Mas ele recusou e fugiu. Por mais que parecia difícil, foi aprendendo truques para esconder dos membros do ministério. E conseguiu finalmente quando foi para os Estados Unidos.

Lá foi descobrindo aos poucos bruxos, o que no ínicio foi dificil achar, quando ficou sabendo como procurar, foi ficando cada vez mais fácil. Lá roubou sua primeira varinha, e aprendeu aos poucos. Continuou suas viagens pelo mundo: México, China, Indonésia, Austrália e Egito. Um bruxo foi até ele e se apresentou como professor de uma universidade bruxa, ele não queria apenas um aluno, ele queria oferecer uma oportunidade.

Passou por outro bruxo, assumindo uma identidade secreta. Entrou para um grupo secreto de alunos, chamado Tabuleiro. O professor lhe deu uma missão de matar um aluno , Thomas ficou relutante, mas uma grande quantia de dinheiro, fez ele cumprir a missão. Foi o começo da sua carreira de assassino. Primeiro trabalhando apenas para o Tabuleiro, mas logo começou a realizar serviços por bruxos que pagassem mais. Com o passar dos anos foi reunindo outros assassinos bruxos, e formou a Liga dos Assassinos.

Assumindo o novo nome, Slade Svage, e tornou-se o maior assassino do mundo. Responsável pela morte do Ministro da Magia da Índia em 1982, um Juiz holandês da Confederação Internacional ou um importante jogador de quadribol inglês, muitos sempre souberam que foi ele, mas nunca conseguiram provar. Sabe-se que ele usava a tática de infiltrar-se na família, usando Polissuco, casando com parentes de seu alvo, e depois de conhecer todos os costumes da vítima, ele morria num mortal acidente induzido.

Um ano antes soube que alguns de seus companheiros do Tabuleiro, na qual pertenceu nos seus anos em Noskort, foram assassinados, ele tentou descobrir o responsável, mas foi morto durante as investigações. Morreu deixando nove filhos pelo mundo, sendo um deles, Giuseppe.

Mãe: Mônica Tognini
Filha de uma tradicional família bruxo de produtores de vinhos. Poderosos e famosos fizeram parte da corte bruxa durante séculos. É mais velha e tem mais três irmãos (Chiara, Ludovico e Ettore) , no entanto Torquato sempre deixou bem claro sua preferência pelo o caçula, Ettore, o único que segue as tradições familiares e os interesses nos negócios. Afinal, Chiara casou com um sangue-ruim inglês e Ettore prefere viajar pelo mundo.

Já a Mônica teve um casamento com um bruxo, um importante artista, Zarkho Tonietti. No entanto, ele sumiu enquanto ela estava grávida ainda de Giuseppe. Eles tinham se conhecido numa festa em Roma, quando no Ministério da Magia houve uma exposição de Zarkho na qual ele tinha feito esculturas de todos os ministros da história italiana.

Depois de Zarkho, ela teve um caso com Sviturno Scollete, gerente do Gringotes de Roma, e era um homem casado. Torquato ficou furioso com a filha, e não falou com ela por anos. Deste caso nasceu Sylvia. Atualmente, Mônica vive bem na sua casa, ela é uma das administradoras do Vinhedo, mas é uma função mais simbólica do que trabalho dela na vinícola.

Vinicola Tognini
Os vinhos Tognini estão entre os mais suaves e frutados da Itália, produzido com as uvas Corvina, Rondinella e Molinara. Passito é o termo italiano para vinho de uva seca e Tognini tem duas versões: Recioto della Tognini que é feito com uvas secas em um estilo doce; e a versão seca, um dos vinhos mais famosos da Itália, o Amarone della Tognini. Uma garrafa de Passito Amarone della Tognini da safra de 1883 foi vendido ano passado por 150.000 galeões.

Aparência
Pepe nasceu loiro e de olhos azuis. Tinha um sorriso encantador que o acompanharia pela vida inteira, mesmo que suas características fossem mudando com o tempo. Foi um jovem garotinho loiro de cabelos lisos, bochechudo e gordinho. Sua voz era aguda, e sua boca estava quase todo o tempo lambusada de alguma coisa, seja molho de macarrão ou calda de chocolate. Vestia a roupa que a mãe impunha, normalmente camisas quadriculadas, suspensórios, calças capri sapatos e longas meias brancas, mas elas sempre estavam sujas de lama após as traquinagens com a prima.

Quando foi para Beauxbatons, era um um rapaz gordo, rosto começava se cobrir de espinhas, a mandíbula parecia estar empurrada para frente. O cabelo loiro era volumoso e parecia nunca ter penteado na vida. A voz ficava mudando constantemente de fina à rouca. Usava as vestes da escola sempre amassada, os cardaços do sapato o faziam constantemente tropeçar.

Mesmo sem saber o que aconteceu quando passou aquela semana de dezembro quando tinha 15 anos desaparecido, só sabe também que lhe provocou grandes mudanças. Físicas imediatas como o cabelo ter ficado escuro, os olhos escureceram. E o novo estilo de vida que adotou que também influenciou, deixando de comer muito agora estava magro. Sempre deixava a barba à fazer.

Anda bem alinhado, e camisas, calças e chapéus agora fazem parte do seu guarda-roupa, assim como sapatos e botas. E normalmente, visto na aula usando sapato, calça social, camisa com terno e gravata. Fora das salas, usa um grande casacão de pele de urso negro, sobre uma camiseta da Sphinx e calça jeans rasgada, e um grande coturno. Na sua intimidade, e quando está dentro da Mansão, está sempre com uma calça de flanela xadrez, regata ou moletom.

Possui uma tatuagem no braço direito que é um desenho de um coração entrelaçado e dentro dele escrito Bettina, em homenagem ao seu primeiro amor. Ele fez na época ainda de aluno. É a única tatuagem colorida, e ele fala poeticamente que ela foi a garota que deu cor à vida dele, mas na verdade, significa que é a pessoa que o fez abrir os olhos.

Acima do peito direito tem outra com uma caligrafia medieval escrito "Et Pluribus Unum" (Entre muitos, um). E mais acima, um Chefe Apache na qual ele nega contar o motivo, mas já deixou escapar uma vez que é uma piada interna com sua prima Vittória.

Personalidade
Visualmente todos dirão Pepe é um cara tranqüilo, sempre sossegado, um cara que sempre está feliz e emana uma alegria incrível. Acham que é um homem carismático e sedutor, que só interessa em mulheres e em festas. No entanto, por dentro queima uma alma revolucionária, um estudioso dedicado, um político de justos ideais. É uma pessoa que tenta pensar logicamente, ver os dois lados de uma questão antes de tomar posição, e não se deixa levar pelas suas emoções na maioria do tempo.

Maioria, porque quando algo que vai contra seus ideais é quebrado, como matar um dragão ou dizer sobre como os sangues-ruins são bruxos inferiores na frente dele, ele explode em fúria literalmente, tendo um espírito avassalador ele destrói tudo que tem no caminho. Por isso nunca que se engane, apesar da fala mansa e do jeito pacifico, Pepe é um lutador daquilo que acredita. Algo incomoda dentro dele desde que foi seqüestrado. Sabe que algo melhorou nele, fisicamente e mentalmente, mas o mistério de quem foi e por que foi ainda o assusta. E normalmente tem pesadelos envolvendo estar preso na caverna novamente. E isso é seu maior medo.. voltar para lá.
  • Ele nunca fica bêbado, pode beber quanto quiser e o que quiser que ele nunca irá sentir o efeito do álcool. Esta uma das características mais marcantes dos Tognini.

  • Pepe é excêntrico para comidas gosta de codornas fritas, lagosta cozida, mariscos de todos os tipos, bagos de boi, coração de frango e qualquer coisa de origem animal. E ele mesmo as prepara na maioria das vezes, sabendo cozinhar muito bem.

  • Neve é algo altamente repulsivo para Pepe, mesmo ele não sabendo o motivo. E não importa onde esteja, apenas de saber que está nevando lá fora, e ele estando debaixo da coberta em seu quarto, já é capaz de deixa-lo de mau-humor.

  • Pepe ama citações e adora usa-las em todas as questões possíveis, sabendo várias de memória, tanto ditas por bruxos quanto por trouxas. E nunca perde uma oportunidade de dize-las.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.plurk.com/fabrizius
 
Giuseppe Tognini
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
WW Fichas :: FICHAS :: Fichas do Wizard World :: Ex-alunos de Noskort-
Ir para: